Entendendo os diferentes tipos de e-Commerce: B2C, B2B, B2G, B2E, B2B2C, C2C

3

Quando falamos em e-Commerce, existem diversos tipos de negócios que podem ser feitos on-line entre diversos tipos de públicos. Genericamente falando, e-Commerce são transações digitais de compra e venda, normalmente via Internet, seja de produtos ou serviços.
E de acordo com o formato ou quem são os participantes, novas siglas apareceram.
Veja a abaixo as principais siglas do e-Commerce e o que cada uma significa:

B2C (Business to Consumer): Este é o tipo mais comum, é a venda varejo. A venda que uma loja faz diretamente ao cliente final. Quando um cliente entra num site e compra seu tênis, se livro, sua geladeira ou mesmo seu ingresso de cinema a transação é classificada como venda de varejo ou B2C.

B2B (Business to Business): Este é o oposto do B2C. Enquanto no B2C é uma empresa vendendo para um cliente final, aqui estamos falando de negócios entre empresas. Um distribuidor pode comprar seus produtos de um fabricante ou importador, uma loja pode repor seu estoque deste distribuidor ou diretamente da indústria que fabrica o produto.
Qual a grande diferença? É que entre empresas, existem muito mais detalhes como níveis de desconto pelo porte das compras, vendas faturadas com limites de crédito, impostos diferentes dependendo do estado ou tipo de empresa, etc.

B2E (Business to Employee): Este é uma variação do B2C. É quando uma empresa faz a venda para seus próprios funcionários. Que normalmente tem acesso a preços diferenciados do varejo tradicional, normalmente tem limites de compra e em alguns casos podem fazer desconto em folha.

B2G (Business to Government): Este modelo é quando uma empresa vende para o Governo. Poderia ser considerada uma venda B2B, porém existem diversas regulamentações e regras que devem ser respeitadas por imposições de lei.

B2B2C (Business to Business to Consumer): Quando uma empresa faz negócios com outro visando uma venda para o cliente final. Por exemplo, uma loja de informática pode fazer uma venda para seu cliente final utilizando o próprio sistema do distribuidor, que por definição não pode vender para o cliente direto.

C2C (Consumer to Consumer): É quando um site intermedia transações diretamente entre um consumidor e outro. Normalmente sites de leilões como eBay e Mercado Livre caem nesta condição. As pessoas não compram seus produtos do Mercado Livre, elas compram de outras pessoas que anunciam eles lá.

Share.

About Author

Mauricio Di Bonifacio

Mauricio Di Bonifacio (Boni) é sócio-fundador da Fast Channel, atuando com Digital Sales as a Service. Também é sócio-fundador da Vertis (www.vertisnet.com.br), uma das principais empresas de soluções de e-Commerce B2B (indústria/atacado). Atua desde 2000 em importantes projetos de e-Commerce como Fast Shop, Camicado, Giuliana Flores, Zelo, Dellavia, Preçolandia e Duchas Corona dentre outros. Tem graduação e mestrado pela USP, dois livros publicados, já foi professor em cursos de graduação, pós-graduação e MBA, e agora está se dedicando a fomentar o mercado de B2B

3 Comentários

  1. Carlos Eduardo on

    Matéria espetacular.
    Me tira uma duvida, como chama o comércio que está crescendo no Brasil e já é grande em outros países. Por exemplo eu montar uma loja virtual(sem possuir produto algum) vender em meu site um produto por exemplo uma geladeira do submarino? Como chama esse tipo de comércio e quais as regras de lucro e negociações, existe já algo definido?
    Obrigado

  2. Mauricio Di Bonifacio

    Olá Eduardo, se você estiver vendendo direto para um cliente final, ele em essência ainda é um B2C. O que muda, é onde você consegue os produtos para vender. Tem modelos que o varejista compra, se estoca e revenda, tem modelos de marketplaces que estoques de terceiros são vendidos, tem modelos de drop shipping, de venda sem estoque e diversos outros.
    Em alguns casos, você poderia também encarar como um B2B2C, onde uma empresa vende para um cliente final utilizando uma plataforma de uma indústria ou distribuidor. Margens e negociações dependem fortemente de qual tipo de produto. E também claro de quem tem maior poder de negociação.

  3. Guilherme on

    Excelente matéria, eu mesmo já trabalhei na área e os clientes me perguntavam o que é isso e aquilo e tudo foi bem esclarecido na matéria deixando bem claro para o entendimento de todos!